Terça-feira, 3 de Maio de 2005

A escola não é uma empresa

O Blog pelos seus leitores:


 


A escola não é uma empresa



O neo liberalismo em


ataque ao ensino público



 


Christian Laval, 2004 - 324 pg.


EnE3.jpg


      Talvez você se lembrem da entrevista do autor francês Christian Laval no caderno Sinapse da Folha de Sâo Paulo de 24 de Junho de 2003.




Nesta entrevista, ele falava sobre os problemas trazidos pelo modelo neo-liberal para o ensino, os problemas da privatização, que são como você sabe, muito mais amplos do que a simples cobrança por um serviço que já foi público.



Mesmo não sendo pedagogo, eu sou educador, e gostei tanto da idéia do livro que terminei comprando os direitos autorais dele e contratando uma tradutora (meu francês é não-existente), para podermos ter acesso a este livro em Português.



Este livro acaba de sair pela editora planta (www.editoraplanta.com.br).


Veja um comentário que escrevi sobre ele logo abaixo.


 




efraim rodrigues, Ph.D.


Universidade Estadual de Londrina


A Escola está submetida a pressões para se adequar aos novos mandamentos do neo-liberalismo. A competição econômica mundial ameaça que todo sistema educativo se reduza a um produtor do “capital humano” necessário às empresas.


Laval descreve aqui o ataque do neo-liberalismo a educação, a partir de uma perspectiva histórica e baseado na experiência de vários países.


A privatização do ensino envolve muito mais do que a simples cobrança por um serviço. Ela influencia conteúdos, procedimentos e relações de poder dentro da escola, que passa a funcionar com base no dogma do mercado.


Christian Laval realizou uma pesquisa profunda, na qual baseia seus comentários sobre as “recomendações” da OCDE, Banco Mundial, OMC e União Européia.


Elas enfocam liberdade de escolha pelos “consumidores da escola” e por uma “profissionalização” dos cursos. É uma metamorfose do ensino, que leva a mercantilização geral do conhecimento e aprendizagem, e reforço das desigualdades.


Mas a realização integral da escola neo-liberal não é inevitável, conforme assegura Christian Laval. Resistências surdas e lutas coletivas afloram em muitos locais, movidas pela consciência dos perigos desta mutação imposta pela globalização do capitalismo.


Os atores da escola vão encontrar aqui um debate crucial para o modelo de civilização que desejamos para nós.


 



O índice do livro pode ser visto em


http://www.editoraplanta.com.br/indiceEE.pdf


A capa e resenha podem ser vistos em


http://www.editoraplanta.com.br/EnE.htm


Valores, detalhes de depósito, remessa, etc podem ser vistos em


http://www.editoraplanta.com.br/contato.htm


 


Webmaster: Sobre o tema ver o interessante trabalho de:


SCHILLER, Dan (2001)  A globalização e as novas tecnologias, Ed. Presença, Lisboa

publicado por chaveslivre às 23:08
link do post | comentar | favorito
|

.pesquisar

.Fevereiro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29

.posts recentes

. Vamos abrir caminho ...

. Quanto mais longe pior.

. A anticipação supera a re...

. Vamos retomar a acção!

. A mentira continua!

. ...

. Desmedido frenesi.

. Rotinas passadistas

. TIC's na autarquia?

. 25 de Abril

.arquivos

. Fevereiro 2008

. Fevereiro 2007

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

.tags

. todas as tags

.links

.as minhas fotos

Get Firefox!
 Use OpenOffice.org

.subscrever feeds

blogs SAPO

.mais sobre ...