Segunda-feira, 18 de Abril de 2005

Um objectivo: Criar Riqueza.

A Gestão actual parou o concelho.


Se tivessem “um conhecimento mais aprofundado e menos simplista dos diferentes processos de desenvolvimento económico local” entenderiam “a importância dos aspectos qualitativos, territoriais e ambientais do desenvolvimento, ao mesmo tempo em que os desafios da revolução ocasionada por novas tecnologias produtivas e de gestão empresarial” lhes mostraria “a necessidade de adequar os esquemas institucionais e os instrumentos de fomento económico para dar-lhes maior flexibilidade ou capacidade de adaptação aos elevados níveis de incerteza que caracterizam o actual período de transição estrutural e as crescentes exigências da disputa competitiva nos diversos mercados”


 


“O processo de desenvolvimento económico local supõe:


 


i)                    criar novas instituições para o desenvolvimento territorial, com a participação negociada dos gestores públicos e do setor privado;


ii)                   impulsionar iniciativas empresariais inovadoras;


iii)                 melhorar a capacitação da força de trabalho local.


 


Portanto, o desenvolvimento é o resultado do compromisso de uma parte significativa da sociedade local e de mudanças básicas nas suas atitudes e comportamentos, permitindo substituir a concepção tradicional de “espaço” (como simples cenário físico) pela de um contexto social de cooperação activa (um “território”).”


 


“A proximidade dos problemas, necessidades, recursos e actores sociais locais” leva a que se formulem “políticas mais realistas, e sobretudo, baseadas no consenso com todos os actores. Igualmente, abre-se a possibilidade de promover a criação negociada de instituições de fomento produtivo empresarial a nível local, gerando um clima de confiança e cooperação entre entidades públicas e o setor privado empresarial e de estimular assim uma cultura local de desenvolvimento. Deste modo, a identidade própria de cada território converte-se em sustentação de seu desenvolvimento produtivo.” in Francisco Albuquerque, 1998 - http://coordinationsud.datapps.com (...)


 

Muito há por conseguinte a fazer. A actual gestão mostrou-se completamente incapaz de gerar esta dinâmica desenvolvimentista. É urgente restabelecer o compromisso empenhado das forças sociais e produtivas no objectivo de criar riqueza. Os atuais titulares Autárquicos já não são capazes de o fazer. Só a oposição tem a credibilidades necessária para tal.
publicado por chaveslivre às 00:19
link do post | comentar | favorito
|

.pesquisar

.Fevereiro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29

.posts recentes

. Vamos abrir caminho ...

. Quanto mais longe pior.

. A anticipação supera a re...

. Vamos retomar a acção!

. A mentira continua!

. ...

. Desmedido frenesi.

. Rotinas passadistas

. TIC's na autarquia?

. 25 de Abril

.arquivos

. Fevereiro 2008

. Fevereiro 2007

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

.tags

. todas as tags

.links

.as minhas fotos

Get Firefox!
 Use OpenOffice.org

.subscrever feeds

blogs SAPO

.mais sobre ...