Terça-feira, 4 de Janeiro de 2005

PDM revisto às escondidas!

peq_arvore.gif

A autarquia, segundo afirma o Presidente, entregou a agentes externos a revisão do PDM (Plano Director Municipal). Até aqui nada de novo. (Contratou técnicos até às “golas” para a Câmara mas depois o serviço foi despachado, a peso de ouro, para fora dos paços do concelho). O que mais critico nem é isso, o presidente lá conhecerá as capacidades dos técnicos que andou a contratar (pelo menos são da cor), mas sim a falta de diálogo e participação das forças vivas no processo de revisão (e não venha com a conversa da consulta pública obrigatória depois de elaborado o documento). Com esta actuação o Presidente consegue criar três problemas graves:

1º - Não respeita nem propicia a construção de consensos alargados entra as várias forças presentes na Assembleia Municipal, ou os vários poderes que se movem na cidade. Desta forma, o PDM que resultar, não surge de um envolvimento e compromisso de todos perante as soluções que venham a ser desenhadas. O que quer dizer que, o PDM, não é do concelho mas sim do PSD, pelo que será alterado pela oposição que, após a derrota que se avizinha para o actual elenco municipal, o vai substituir no poder.

2ª - O PDM deve possuir uma reflexão aturada em relação aos objectivos de solidariedade e equidade para as gentes que vivem nos diferentes territórios do concelho. Esta reflexão, pela sua natureza e a ser feita com seriedade é superior aos interesses individuais ou conjunturais, quanto mais políticos. Contudo, tal não está a ser realizado pois, a revisão do PDM, está a ser intencionalmente escondida dos flavienses. (tal como o foi a carta educativa e veja-se agora o resultado)

3º - Esta forma de actuação, propicia o nefasto desencontro dos actores que elaboraram, que devem executar, fiscalizar e avaliar. São eles os técnicos municipais, que recebem um documento estranho ao serviço, os agentes privados que são surpreendidos com limitações de uso intempestivas (ou verão que alguns terrenos mudaram de mão sem entenderem porque, antes do conhecimento público do PDM), as instituições políticas Assembleia Municipal e Juntas de Freguesia que ao votar não podendo fugir à disciplina partidária, aprovarão um documento para o qual não contribuirão e outro sem fim de actores que não vou referir agora.

Como discorri, a prática usada por este elenco camarário prejudica os nossos interesses colectivos. Tem por isso que receber a merecida penalização nos votos.

Necessitamos de introduzir um impulso criativo na Autarquia que favoreça a sua governabilidade. Os que lá estão são, a cada dia que passa, um obstáculo maior ao crescimento do bem-estar e da riqueza para todos (não só para alguns), no concelho.

publicado por chaveslivre às 02:45
link do post | comentar | favorito
|

.pesquisar

.Fevereiro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29

.posts recentes

. Vamos abrir caminho ...

. Quanto mais longe pior.

. A anticipação supera a re...

. Vamos retomar a acção!

. A mentira continua!

. ...

. Desmedido frenesi.

. Rotinas passadistas

. TIC's na autarquia?

. 25 de Abril

.arquivos

. Fevereiro 2008

. Fevereiro 2007

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

.tags

. todas as tags

.links

.as minhas fotos

Get Firefox!
 Use OpenOffice.org

.subscrever feeds

blogs SAPO

.mais sobre ...