Sexta-feira, 17 de Dezembro de 2004

Abater falsos mitos.

É demasiadas vezes pronunciado, embora com grande falsificação, que a direita no mando é mais poupada que a esquerda. Nada mais inexacto. Prodigiosos estudos recentes e a observação directa da prejudicial acção da direita em Chaves, vem confirmar o que inicialmente asseveramos.


Em estudo realizado por dois académicos


 Indiv_munic.jpg


e, de acordo com os valores médios a que chegaram, “os municípios cujos presidentes de Câmara estão em maioria endividaram-se mais que municípios cujos presidentes de Câmara estão em minoria. A existência de alternância parece estar associada a menor endividamento” e não a cor política. Antes, acentua-se que, “os municípios governados por membros de partidos da oposição (de cor contrária ao governo do país) endividaram-se mais que os municípios governados por membros do partido do governo” mas, como não há regra sem excepção, no nosso concelho de gestão ppd, acontece precisamente o contrário.


Porque será?


No estudo, afirma-se ainda que, “quando se considera esta interacção” se verifica que, “os municípios que dependem mais de receitas próprias e cujos presidentes não pertencem ao partido que está no governo central, se endividam mais que aqueles em igualdades de circunstâncias, mas em que o presidente pertence ao partido do governo.”


Se assim é porque se penhora a Câmara de Chaves com cadência crescente?


Resposta: Porque o presidente não tem projectos consistentes para apresentar, não tem uma estratégia visível par o concelho, não tem relacionamentos privilegiados com os seus correligionários em Lisboa. Isto é, ao contrário de nós lhe damos atenção com a crítica, os de Lisboa no Governo, nem sabem quem ele é.


Toda a gente sabe que nem a Chaves se dignaram vir, ou se vieram foi em viagem de adeus, e com os pecúlios ocos.


Estudo publicado por:


 Revist_est_region.jpg

publicado por chaveslivre às 23:26
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Anónimo a 17 de Dezembro de 2004 às 23:47
Durão Barroso, enquanto 1º Ministro, visitou Boticas, Montalegre, Valpaços...
Santana Lopes, após suceder-lhe, visitou Vila Pouca de Aguiar...
Jorge Sampaio esteve em Montalegre, Valpaços, Vila Pouca de Aguiar...
Chaves fez 75 anos de elevação a cidade e a Ponte Romana completou XIX séculos e nem chefe do governo nem PR.
Consta-se que a gestão desastrosa da Câmara PPD inibe as figuras de topo a visitarem oficialmente o concelho, dispensando-se, assim, de terem de ser protocolarmente deselegantes.Celso Cruz
</a>
(mailto:ccruz@sapo.pt)

Comentar post