Quarta-feira, 8 de Dezembro de 2004

O blog pelos seus leitores

Casa de Trás-os-Montes e Alto Douro EUA celebrou 13º aniversário da sua fundação.


 Como mencionamos na passada semana, realizaram-se no domingo, dia 5 de Dezembro, as comemorações do 13º Aniversário da fundação da Casa de Trás-os-Montes e Alto Douro EUA (CTMAD), a que assitiram, como convidados oficiais, os seis presidentes das câmaras do Alto Tâmega. Digno de nota o facto de o autarca de Boticas, o Engº Fernando Campos, ter permanecido em Newark apesar de a crise política e a sua condição de presidente da distrital do PSD de Vila Real terem estado na origem da sua solicitação para estar em Lisboa. O autarca respondeu aos seus líderes partidários que tinha "muito respeito pelos emigrantes e que não os ía abandonar nesta data festiva' (sic).


O programa teve inicio na sexta feira, com uma recepção por parte da direcção da CTMAD, na sua sede situada em Newark, onde, pela primeira vez nos Estados Unidos, actuaram os elementos do grupo regional TRO-LO-RO. Outra actuação, brilhante mesmo, foi a da jovem fadista transmontana, a botiquense Andrea Rio. No sabado, depois de uma visita a New York, nova recepção, desta vez levada a efeito pelo Lusitânia Savings Bank, o tal Banco que foi formado com capitais transmontanos, nomeadamente do Alto Tâmega e que tem como presidente o botiquense Augusto Gomes, que é também presidente da CTMAD. Domingo, e depois de uma missa por alma dos sócios falecidos, teve lugar o ponto alto das celebrações. Um almoço comemorativo onde os autarcas de Boticas, Chaves, Montalegre, Valpaços, Vila Pouca de Aguiar e Ribeira de Pena tiveram o acompanhamento de mais de meio milhar de transmontanos e amigos. Presente também o murtoseiro Augusto Amador, que é vereador da cidade de Newark, New Jersey. Augusto Amador, depois de assistir à actuação de Andreia Rio, vaticinou um grande futuro à jovem fadista e fez questão de no próximo Verão a ver num festival multi-étnicol, que vai ser levado a efeito em Newark. Também a Delegação local da Associação de Comandos se mostrou interessada em ter a Andreia numa futura festa sua. O almoço, que teve a apresentação da flaviense Celeste Rodrigues, teve também a actuação do mencionado grupo TRO-LO-RO.


Parabéns à CTMAD, nomeadamente ao seu presidente e grande obreiro deste aniversário, Augusto Gomes.


Enviado por: PNUNOCHAVES@aol.com

publicado por chaveslivre às 12:55
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Anónimo a 11 de Dezembro de 2004 às 23:46
Eh pá... agora que a coisa aquece ninguém diz nada?.
Eu pela minha parte estou feliz, felicíssimo; este governo deu o "berro", foi-se abaixo das canetas, moorrreuuu... .
Os "palermas" (que razão tinha Ferro Rodrigues) não se aguentaram com a emoção, eu diria vaidade, de, com pompa e circunstância, se poderem pavonear em cerimónias protocolares de toda e quelquer coisa.
Que irritante era ver o "panasca" do portas pavonear-se com "a camisola pelos ombros" à boa maneira dos "queques" da linha.
Que degradante era vero o pm com aquele ar de "não sei se foda, não sei se deixe foder; não sei se foda, não sei se deixe foder".
O PR sem querer, fez um favor ao PS, mas em consciência, fez um favor ao povo português.
Queira Deus queira que agora o PS e o Sócrates saibam aproveitar e, não se deixem contaminar pelo piorio que existe no PS. Que saiba escolher os homens certos e que deixe de fora os oportunistas que infelizmente grassam por todo o país.
Estou feliz e estou contente porque, ao que parece, acabou o pedantismo da direita caciquista e fascisante. Estou "algo" apreensivo porque receio (de certo modo) o PS que aí pode vir.
Rezo ao meu "pai criador" para que ilumine o sócrates; rezo ao meu "pai criador" para que deixe de fora alguns crápulas que por desgraça, também existem no PS.
Rezemos todos, homens de boa vontade, para que assim seja. Amén.João XXI
</a>
(mailto:vaticona@ppd.pt)
De Anónimo a 11 de Dezembro de 2004 às 08:10
O Campos não regressou de imediato ao país porque os tempos são de derrotas eleitorais para o seu partido,de fim de tachos, de acabar de mordomias e privilégios.
Era muito mais confortável permanecer longe, acobertado por uma desculpa oficial.
Fosse ao contrário e o avião em que entraria seria, por certo, o...seguinte e mais rápido !Celso Martins
</a>
(mailto:cmart@sapo.pt)

Comentar post