Domingo, 5 de Dezembro de 2004

À Maluca

A aquisição dos terrenos necessários ao Parque de Actividades, Plataforma Logística, Mercado Abastecedor e alargamento da via de acesso revela bem a postura dos actuais responsáveis autárquicos.

Inicialmente, o vice-presidente da autarquia procurou obter um mandato da Câmara para negociar directamente com os proprietários esses terrenos, dentro de critérios muito maleáveis.

Os vereadores do PS exigiram que fossem feitas, antes, avaliações por um perito oficial e que se procurassem, então, adquirir os terrenos de acordo com os valores assim apurados.

Tais avaliações vieram a ser feitas, tendo conduzido a valores exageradamente baixos por a Câmara ter fornecido referências erradas.

Parque Actividades.JPG

Injustiça nº 1: Os proprietários que viram os seus terrenos atravessados pelo IP3 receberam muito mais do que os proprietários que, ali próximo, viram os seus terrenos ser ocupados pela Câmara.

Injustiça nº 2: Os donos dos terrenos que colaboraram e aceitaram a proposta da Câmara receberam o valor da perícia. Os que bateram o pé e não colaboraram, viram a Câmara oferecer-lhes 25% a 30 % mais. Os que tinham vendido e pediram lhes rectificassem o preço, pagando a diferença, receberam da Câmara a resposta: não tivessem vendido !

É esta a postura institucional, o carácter e a rectidão de princípios que caracteriza os representantes do município.
publicado por chaveslivre às 18:02
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Anónimo a 8 de Dezembro de 2004 às 12:16
Não quero lançar discórdia, mas parece-me que há aqui dois pesos e dus medidas.
Se calhar os pobres ficaram com os preços mais baixos, e os abastado, com os seus advogados, com os mais altos.
Cá para mim, fico a matutar no nomes dos que mamaram à grande da Câmara.Litó
</a>
(mailto:lito@sempre.tesa.com)

Comentar post