Terça-feira, 12 de Outubro de 2004

Injustiças numa mão cheia de nada

Segunda-feira decorreu no nosso concelho mais um engano. Esse dia, culminado com um grande repasto no restaurante do costume, serviu para, ao fim da tarde, se outorgarem um conjunto restrito de protocolos com o fito de modernizar administrativamente umas poucas juntas de freguesia. Por estes lados é obvio que não se podem desperdiçar as migalhas que o centralismo lisboeta vai deixando cais dos lautos repastos à mesa do orçamento de nós todos. Para exemplificar vasta referir as reformas dos dirigentes da Caixa ou os ordenados da panóplia de assessores recentemente nomeados. Tirando a ninharia do valor dos protocolos assinados, em média 4000 euros, aos quais as juntas devem, pelo menos, juntar outro tanto do seu, nada mais haveria a referir. Acontece, contudo, que o famigerado gabinete de apoio às juntas de freguesia da nossa Câmara não alertou todos os presidentes de junta para este programa. Durante a cerimónia vários responsáveis pelas juntas se queixaram deste facto. Foi ainda interessante verificar a generalidade das queixas partiam de juntas de cor oposta à que esta no poder. Não se pense no entanto que todas as de cor contrária foram relegadas, pois o problema do desconhecimento incidiu mais nas que contratualizaram os serviços de contabilidade com o supra referido gabinete camarário de apoio às juntas. Pelo que perguntamos: 1º Não deveria a Câmara diligenciar no sentido de informar todas as juntas das oportunidades de financiamento extra que aparecem? 2º Não foi promessa eleitoral informar e apoiar todas as juntas do concelho no desenvolvimento de projectos? 3º Não seria bom para o concelho e para os munícipes que todas as juntas melhorassem o atendimento, modernizando-se administrativamente? Caso a resposta a estas questões seja positiva, podemos concluir que houve deficiente funcionamento dos serviços municipais, cuja responsabilidade deve ser assacada, exclusivamente à gestão psd. No entanto, mais importante que encontrar os culpados ou conhecer os motivos do fracasso, importa fazer justiça. Pelo que, deve agora a Câmara, responder com o apoio financeiro necessário à modernização das juntas de freguesia que, injustamente, foram esquecidas. Se o não fizer, podemos de antemão afirmar que, o relacionamento da Câmara com as juntas, tem dois pesos e duas medidas.
publicado por chaveslivre às 14:47
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Anónimo a 13 de Outubro de 2004 às 23:20
A cerimónia em causa teve a presença de um membro do Governo de Portugal. Isto apesar de se tratar de uma ninharias e de um programa pouco aliciante ( 50% de comparticipação é muito pouco; 75% é a regra de qualquer fundo comunitário ). No dia 08 de Julho passado, que Chaves comemorou 75 anos de elevação a cidade e que se festejaram os XIX da nossa Ponte Romana, nenhum dos membros do governo PSD convidados apareceu. É caso para perguntar quais sãos os actuais critérios de representação governamental em Portugal ?Luís Fontes
</a>
(mailto:areias.fontes@clix.pt)
De Anónimo a 12 de Outubro de 2004 às 15:35
Bem. Vamos ver de se uma vez por todas nos entedemos. então de que é que você estava à Espera.
Estava à espera que algumas juntas, leia-se muito poucas, ou melhor quase uma soulemeant, que reivindica que foi ela,( ou melhor ele, sim sim, o tal dos lanches, comes e bebes ao final da tarde) que ganhou a autarquia deixasse que tudo funcionasse normalmente?
Estava à espera que o que a direita apregoa de igualdade de direitos COM LUGAR A CONTARDITÓRIOS tivesse lugar no nosso burgo?
Não vê v.ex. que até já o partido nacional segue o exemplo do local, com a falta de liberdade de expressão ( bem aqui basta não ser a favor que se está logo queimado).
Mas enfim, comentanto a miríade de ideias que vêm publicadas no seu texto, resta-me referir o seguinte:
Alguêm se lembra ainda daqueles contos infantis? O Conto do raposa que vinha comer as galinhas e era sempre alarme falso? Aqui passa-me o mesmo, ou seja, mesmo que tivessem contactado todas as juntas, quem é que iria acreditar? É que com tantos alarmes falsos, inverdades e até algum gozo pelo meio, os presidentes da junta já não reconhecem nehuma verdade ou até seriadade nos contactos estabelecidos pela autarquia. Está bem, está bem, o Sr. protocolar R. até já se mudou para o CCC. E que adianta, continua a ter influência grave nas borradas, sim borradas.
Por falar nisso. Porque é que terá havido semelhante mudança de tacho? Falta de competência? Vontade Pessoal? A resposta será dada nas próximas eleições...chaves2003
</a>
(mailto:chaves2003@sapo.pt)

Comentar post